Joaquim Barroso empresário na área da construção em Genebra

0
1591

A empresa DMB conta com 165 trabalhadores

Joaquim Barrosos tem 59 anos de idade, natural de Valpaços, e saiu de Portugal há 42 anos. Antes da Suíça, esteve na Líbia e em Espanha. Chegou à Suíça no ano de 1982, ajudou a criar uma empresa de que mais tarde foi o diretor e administrador. Tem dois filhos e ajudou a criar a Associação de Empresários do cantão de Genebra no setor da construção, da qual é o presidente. Apesar de continuar ligado à sua empresa, acaba de vender as ações e pensa retirar-se do mundo do trabalho aos pucos, mas continua ligado à Suíça e deseja fazer a ponte entre o país helvético e Portugal. Falou-nos um pouco do seu percurso, da sua vida e desta jovem associação da qual sente um imenso prazer e orgulho. A empresa que ajudou a construir conta com 165 trabalhadores, sendo que, entre estes, 85%  são portugueses.

–Pode dizer como foi a sua chegada à Suíça e como tudo começou?

Joaquim Barroso –Quando cheguei à Suíça foi no tempo antigo, como se diz muitas vezes, do tempo da mala de cartão. Foi ano de 1983, com o estatuto de sazonal, tempos muito difíceis, e comecei logo a trabalhar na área da construção civil. No ano de 1985, ajudei a criar uma empresa, as coisas correram muito bem, para nos anos de 1990 começar a ter ações dessa mesma empresa. Cresci com essa empresa como empresário, cheguei a administrador, até ao ano de 2018. Essa empresa tem 165 trabalhadores, continua ligada ao mundo da construção civil no cantão de Genebra. Como disse, fui diretor e administrador da empresa até ao final do ano. Vendi as minhas ações, mas continuo ligado, mas de forma mais ligeira, não tão empenhado como no início. Posso dizer que começo a pensar na minha retirada e na minha reforma. Repare que saí do nosso Portugal há 42 anos.

–Como foi criado este grupo de empresário em Genebra há 5 anos? Como é que teve a ideia?

Joaquim Barroso – Tive a ideia porque conheço muitos portugueses ligados ao ramo da construção, conheço muitas pessoas, e assim nasceu este projeto que deseja ser uma ponte de partilha e para nos conhecermos melhor uns aos outros. Todos estes empresários estão ligados ao mundo da construção civil em Genebra, e posso dizer que partilhamos conhecimentos e até pedimos a colaboração uns aos outros, o que faz com que seja uma mais-valia para este grupo de empresários. Ramos diferentes, mas todos ligados ao mundo da construção. Tentamos abrir portas uns aos outros nas suas mais variadas valências. Partilhamos muitas informações a nível da Suíça como até de Portugal.

–De alguma forma os elementos do vosso grupo protegem-se a nível empresarial?

Joaquim Barroso. – Não diria tanto, dado que estamos num mercado livre e transparente. A concorrência existe e é bom que assim seja. No entanto, claro, que entre os elementos do nosso grupo pedimos sempre a primeira opinião e pedimos as primeiras condições para o trabalho que se deseja realizar, até porque, como eu disse, entre os nossos empresários abrangemos todas as valências no mundo da construção.

— Fale-nos da sua empresa.

Joaquim Barroso—É uma empresa que se dedicou sempre à reconstrução de prédios, saneamento de prédios e continua a ser nesse sentido a orientação da empresa. Também temos o isolamento e reconstrução das fachadas.

–Os trabalhadores são maioritariamente portugueses?

Joaquim Barroso– Sim, claro que sim. Mais de 85% são portugueses da zona de Valpaços e da zona de Viseu.

–Fale-nos deste grupo de empresários e quantas vezes se reúnem ao ano.

–Joaquim  Barroso— Pois, o nosso grupo de empresários do cantão de Genebra reúne-se 4 vezes ano, para confraternizarmos, mas o comité da direção reúne-se umas 6 vezes por ano, em que abordamos projetos e ideias para engrandecer e consolidar o nosso grupo. Estamos a organizar uma viagem a Portugal, todos temos sempre o nosso pensamento em Portugal, são as nossas raízes e a nossa cultura que todos sentem como únicas e a ligação à terra é muito forte. Eu próprio vou ao nosso país todos os meses. Muitos de nos são empresários também em Portugal, o que não é o meu caso. Esta associação de empresários é para continuar com muita emoção e muita alegria.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here